Participação feminina cresce entre empreendedores experientes: mulheres ganham espaço no mundo dos negócios

Por

O cenário favorável da economia brasileira em 2023, quando o país atingiu um nível próximo ao pleno emprego, teve um impacto direto no perfil das mulheres no mundo do empreendedorismo. Entre 2022 e o ano passado, houve um aumento na presença feminina entre os empreendedores estabelecidos (com mais de 3,5 anos de experiência empreendedora).

Essa mudança reflete no crescimento do número de empreendedoras com maior experiência e maturidade no ramo empresarial. Por outro lado, houve uma diminuição de 4 pontos percentuais na proporção de empreendedoras entre os proprietários de negócios em estágio inicial (com até 3,5 anos de atividade).

Os dados são oriundos da pesquisa Global Entrepreneurship Monitor (GEM), realizada pela Associação Nacional de Estudos e Pesquisas em Empreendedorismo (Anegepe), em parceria com o Sebrae. De acordo com o levantamento, embora os homens ainda liderem entre os empreendedores estabelecidos, representando 65% do total, houve um crescimento de cerca de 18% na proporção de empreendedoras estabelecidas em comparação com o ano de 2022.

Enviar pelo WhatsApp compartilhe no WhatsApp

Pelo quarto ano consecutivo, houve uma queda na quantidade de mulheres no grupo de “Empreendedores Iniciais”, passando de 44,2% em 2022 para 40,2% em 2023 da população feminina economicamente ativa. Em 2023, as mulheres proprietárias de negócios estabelecidos representavam cerca de 35% do total de empreendedores consolidados, um aumento em relação aos 33,7% de 2022.

A Pesquisa GEM é reconhecida como a principal pesquisa sobre empreendedorismo global. Realizada anualmente por 24 anos, mais de 110 países participaram, o que equivale a mais de 95% do PIB mundial. No Brasil, em 2023, 2 mil adultos e 52 especialistas foram entrevistados. O Brasil é um dos poucos países que participou de todas as edições desta pesquisa renomada.

📂 Dinheiro